Bebecê: credibilidade não se compra, se conquista

LGPD: o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados no marketing da sua empresa
Agência de publicidade: por que contratar, se posso internalizar?
Humildade situacional para resolver problemas (parte 2)

Já que a nossa capa da temporada fala sobre comunicação inteligente e as diversas possibilidades de chegar ao consumidor, aqui tem um belo exemplo da casa de como isso é possível: dá uma olhada no vídeo que produzimos para a coleção primavera-verão 2010/2011 da Bebecê Calçados:

O comercial foi concebido para veicular apenas em parte do Rio Grande do Sul, em horário nobre. Foi o primeiro VT que produzimos para o cliente e ele está mais do que satisfeito com os resultados – assim como a gente!

Daí, você lê nosso artigo de capa e se pergunta: “hey, mas isso não é publicidade veiculada em um canal pago? Vocês disseram ali que essa não deveria ser a primeira alternativa”. Daí, a gente responde: sim, é publicidade paga. E reafirma que não, não deve ser a primeira alternativa de divulgação. E completa dizendo: foi o primeiro VT que fizemos para a marca, mas não foi a primeira investida publicitária da Bebecê. Antes disso, eles souberam utilizar muito bem os “canais conquistados” para divulgação.

A reprodução acima é uma das três páginas da revista Época (edição de 23 de agosto) dedicada à evolução do salto alto, cada vez mais confortável devido o auxílio da tecnologia. Os sapatos que se vê na primeira página da matéria são da Bebecê, que ganhou destaque também ao longo do texto.  Vale lembrar que a Época é uma revista de circulação nacional que figura entre as maiores tiragens da categoria, e a Bebecê pagou absolutamente nada ocupar este espaço. Como ela fez isso? Bom, primeiro, sendo dona de um “produto admirável”. Depois, tendo uma assessoria de imprensa competente capaz de “conquistar” este canal.

A estratégia da Bebecê envolve os três canais para divulgar sua marca (canais próprios, como o site; canais conquistados, como a matéria na Época; canais pagos, como o VT que produzimos). E, como já dissemos, o uso de um canal não exclui o outro. Pelo contrário, potencializa. Bem divulgados os propósitos da empresa e conquistada a confiança do consumidor, um comercial na TV serve como reforço do posicionamento da marca – uma marca que a gente ajudou a construir, e que só nos dá orgulho: seja assistindo o VT que fizemos, seja abrindo a revista Época.