Biscoitos Orquídea: eles vão estar na sua casa!

LGPD: o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados no marketing da sua empresa
Agência de publicidade: por que contratar, se posso internalizar?
Humildade situacional para resolver problemas (parte 2)

Basta fechar os olhos por 10 segundos e pensar na infância: sem dúvida, alguma memória deve ter relação com aqueles lanches no final da tarde, na casa da vó, com os amigos ou com a família toda reunida. Bolacha Maria com manteiga saindo pelos furinhos, cream cracker com requeijão e café com leite pra acompanhar. E tão grande quanto a fome e a nostalgia desses pensamentos é o nosso orgulho de apresentar mais uma baita campanha para a Orquídea.

No início do ano contamos como foi todo o processo de planejamento da marca, envolvendo muita pesquisa e uma super imersão no dia a dia do cliente. Nesse momento descobrimos que alguns produtos estão diretamente ligados às nossas memórias afetivas, exatamente como falamos ali no início, e mais: nossas consumidoras, em sua grande maioria, são mulheres que buscam a praticidade. Mas tínhamos um desafio: como fazer essa marca se tornar tradição na mesa – e nos potes de biscoitos! – das famílias?

Ora, indo pelo caminho menos óbvio e chancelando o desejo da Orquídea em fazer parte da vida dos consumidores, principalmente nos momentos que envolvem confraternizações e sossego em casa. Invertemos então os papéis e colocamos os produtos Orquídea como protagonistas de um comercial que é uma das coisas mais fofas que já produzimos aqui – e que está, cofcof, bombando nos mais diferentes horários na telinha 🙂

No vídeo, nossos biscoitos sonham em fazer parte da vida dos consumidores, o legítimo “por favor, nos convida pra entrar na sua casa?”. TEM COMO NEGAR UM PEDIDO DESSES? Tem não. Com uma baita produção em 3D e live action, esse VT é, sem dúvida, uma #$% materialização da nossa busca incansável por pensar de forma estratégica e criativa ao mesmo tempo. E falando em materialização, espiem só quem vai estar circulando nos pontos de venda por aí…

Ah, tudo bem. A gente também tá suspirando 