Fundaplub (✩ 1976 ✞ 2012)

LGPD: o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados no marketing da sua empresa
Agência de publicidade: por que contratar, se posso internalizar?
Humildade situacional para resolver problemas (parte 2)

Hoje, 2 de março de 2012, a Fundaplub como a conhecíamos deixa de existir e nasce uma nova instituição. Nas palavras de Carlos Becker, Diretor da Fundação APLUB de Crédito Educativo, a data representou um marco zero, um dia para rever antigos conceitos e abraçar tantos outros novos. Enfim, um dia para renascer.

O que temos a ver com esse trabalho de reposicionamento total da marca? Ora, tudo. Logo depois das boas-vindas à Fundaplub, demos início a uma extensa pesquisa de mercado, que abrangeu estudantes universitários, instituições de ensino e outras organizações de financiamento educativo. O resultado, apresentado hoje a todos os colaboradores da antiga Fundaplub, celebrou uma nova era, sintetizada no seguinte slogan:

O trabalho de reposicionamento, para a Duplo, começou há quase um ano; para os colaboradores, mais ou menos uma semana antes do grande dia. Para que todos os que fazem a Fundaplub absorvessem de forma integral os novos conceitos por trás do slogan, criamos uma atividade lúdica que causou muito envolvimento por lá: cartões com características como “espírito jovem” e “descomplicado” foram distribuídos aos colaboradores, que deveriam entregar esses papéis cheios de significado aos que eles julgassem como detentores daquela qualidade. O porquê daquilo tudo eles só iriam descobrir no fim do Encontro Fundaplub (e eles ainda não sabiam, mas iriam gostar bastante).

Após as palavras do diretor, que não escondeu o entusiasmo com o momento, quem assumiu o microfone foi o Marcelo Lubisco, nosso Diretor de Planejamento e cara que encabeçou esse trabalho. A pesquisa revelou um diagnóstico bem específico da instituição em seus pontos negativos e positivos. Na plateia, um misto de sensações – afinal, se olhar no espelho de vez em quando nos mostra algumas características que a gente prefere não ver.

Um detalhe interessante, que pode até ter passado desapercebido, é que em todo o discurso empolgado do Marcelo, em momento algum o resultado do diagnóstico foi apresentado como “vocês, Fundaplub, são assim”, ou “vocês, a partir de agora, devem ser assim”. Foi sempre “nós somos assim”, e “a partir de agora, nós devemos ser assim”. Essa coisa do envolvimento que a gente tanto prega por aqui se revela nessas ocasiões, às vezes de formas discretas. O apego às marcas que a gente cuida é tanto que acaba sendo inevitável não nos enxergarmos como parte da organização, assumindo os problemas e buscando, custe o que custar, soluções.

Daí, depois de apresentar o que éramos e o que vamos ser de hoje em diante, chegou o momento de revelar o que eram aqueles cartões que os colaboradores da Fundaplub trocaram entre eles ao longo da semana:

Os colaboradores que receberam mais cédulas com determinada característica, foram chamados diante de todos para receber um mimo – e reconhecimento, o que é mais importante.

Será que os colaboradores aceitaram bem tanta informação, tanta novidade? Hmm, as caras serenas e os sorrisos no coquetel que aconteceu logo depois respondem qualquer pergunta. Para o pessoal aqui da Duplo, ainda teve um bônus: a vista incrível que só o terraço do prédio da Fundaplub, no centro de Porto Alegre, pode proporcionar:

Para encerrar, só podemos dizer que nasceu uma nova Fundaplub, e estamos bem orgulhosos dela. Assim que tivermos mais informações sobre o desenvolvimento do nosso rebento, contamos por aqui 😉