Mudamos muito, mas nem tanto

LGPD: o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados no marketing da sua empresa
Agência de publicidade: por que contratar, se posso internalizar?
Humildade situacional para resolver problemas (parte 2)

A Duplo M agora é Duplo, e isso não quer dizer que mudamos – até porque,
 nesses 15 anos de mercado, convivemos sempre tão de perto com a mudança
 que já aprendemos a chamá-la de cotidiano. A Duplo M agora é Duplo porque 
achamos que esse era o momento certo para tornarmos público o que sempre 
fomos na intimidade: uma agência envolvida, próxima de seus clientes o bastante 
para ser chamada apenas pelo primeiro nome.

As relações intensas de confiança que cultivamos ao longo dessa história, 
tanto com clientes quanto com os públicos de suas marcas, é um reflexo da 
dinâmica que se estabeleceu entre as pessoas que fazem a Duplo. Aprendemos 
que aprender é um exercício diário, e que o trabalho flui muito melhor sem 
paredes, sem portas, sem divisão por departamentos. A criatividade não precisa
 estar restrita apenas a um setor: aqui, ela deve estar presente no Planejamento, 
na Mídia, na Produção, na Geração de Conteúdo, nos pequenos detalhes e nos 
grandes desafios com a mesma intensidade. Aprendemos que comunicação não
 se faz apenas com anúncio, e presença digital não se estabelece só com a criação 
de um perfil no Twitter e uma página no Facebook. É preciso engajar, ser útil, 
relevante, inserir o público em um diálogo. Em outras palavras, é preciso causar 
envolvimento. Aprendemos também que as trocas são essenciais, que ouvir é tão 
importante quanto falar e que uma boa ideia pode surgir de qualquer cabeça,
 independente de crachá ou sobrenome.

A Duplo continua sendo a agência do M, de Mattos, e do M, de Marques, que
 fazia das verdades, resultados. Mas também é a agência do L, de Lubisco, do 
M, de Miguel, do B, de Borges, do K, de Kicha, do B, de Becker, e de outros 60 
sobrenomes que se reuniram no terceiro andar da Avenida Ipiranga, no número 
6929, com o objetivo de causar envolvimento.

Para quem já nos conhece, continuaremos sendo iguais naquilo que sempre foi 
o nosso diferencial. Para quem ainda não nos conhecia, muito prazer. Pode nos
 chamar de Duplo.