Reajuste anual: entendendo a tarifa de energia elétrica da AES Sul

LGPD: o impacto da Lei Geral de Proteção de Dados no marketing da sua empresa
Agência de publicidade: por que contratar, se posso internalizar?
Humildade situacional para resolver problemas (parte 2)

Há pouco tempo, contamos aqui no blog como realizamos a tarefa de ajudar a AES Sul a esclarecer os seus clientes sobre o valor da conta de luz a partir da utilização de bandeiras tarifárias).
Agora é a hora de mostrar a nossa solução para outro assunto igualmente delicado e que também impacta na fatura de energia elétrica no final do mês: o reajuste anual homologado pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica.

Para aplicar o reajuste, a ANEEL considera o índice anual da inflação (IGPM), que atualiza os custos diretos da distribuidora e as demais variações (energia, encargos, transporte, entre outros). Uma das despesas que mais impactou nos últimos dois anos foi o do uso da energia gerada pelas usinas termoelétricas. A energia térmica é mais cara e passou a ser usada, em maior volume, em meados do ano passado em função da estiagem, que reduziu o volume de água dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

Assim, novamente tínhamos a função de explicar, de forma clara e objetiva, como o aumento na conta de luz aconteceria na prática.
Confira:

Bacana, né? Uma maneira transparente de tratar de um assunto que influencia diretamente a vida de milhares de pessoas da área de atuação da AES Sul.

Para seguir acompanhando o nosso trabalho com a concessionária, clique aqui!